Friday, November 24, 2006

20 minutos

O país, como se vê, ora se queima, ora se inunda. Ambos os casos são sem dúvida dramáticos. É indiscutível. Se não tivesse chovido tanto hoje, o que noticiariam hoje os telejornais? Imagino que nada não pudesse ter sido dispensado, como julgo que foi. Com tanta informação, a toda a hora, com assuntos que se repetem até à exaustão, será que é inviável um telejornal da noite objectivo e simples que não ultrapasse os 20 minutos?

7 Comments:

Blogger cbs said...

um telejornal objectivo e simples?
impossivel, dá muito trabalho e não há tempo pra isso.
além disso há que encher mutio o tempo, porque essa é que é a medida.

vivemos numa Mentirocracia :)

3:24 PM  
Blogger -pirata-vermelho- said...

Seria, em outro mundo ou se a intenção fosse essa.
Intenção e projecto de investimento.
Não seja ingénua!
AQs notícias da chuva pesam tantocomo as de um descarrilamentona China ou de uma bomba num iraque qualquer - você vai continuar a ser dispensada e impedida de saber.

5:52 PM  
Blogger holeart said...

nao é provavel que o queiram fazer.

a sociedade do espactaculo vive disso.

muitas noticias e pouco objectivas.

8:10 PM  
Anonymous Anonymous said...

La misma reflexión la oí hace poco de una de las mejores periodista de Catalunya. Pedía que los Telenotices fueran como los que tu dices, cortos, objetivos y simples.

La dirección de la TV dice no, no y no. Acaso quieren que no tengamos tiempo de pensar?

8:59 PM  
Blogger TR said...

Com canais de informação 24h por dia como já temos, a debitar informação a toda a hora e se, como diz o Delfi que já acontece em Espanha, "a população" pede e discute um telejornal que conte o que houve de mais relevante no país em cada dia em pouco tempo, talvez ingenuamente, aceito que sim, julgo existir matéria para fazer melhor e para manter boas audiências, até. A questão é que as televisões tal como tudo neste país fingem ser competitivas no verdadeiro sentido da palavra competir e não fazem mais (é facil de ver) do que copiar programas. Competem sem olhar a meios. Não interessa se são três, quatro, cinco ou seis. Olhemos para uma grelha de programação de todos os canais de televisão e vejamos as diferenças. Os próprios comentadores habituais (todos os comentadores, excepto o Vitorino)são tão "pobres" que hoje ao fim ou ao início dos seus comentários apresentam livros e falam mais do mesmo. Penso que não digo nenhuma asneira se disser que a SIC Notíccias quando começou foi muito elogiada precisamente pela objectividade dos seus cadernos informativos que não sei quanto tempo tinham. É evidente que as audiências exigiram espectáculo. Mas será muito grave pedir que no meio daquela informação toda haja nunca uma versão "light", mas sim uma, apenas uma versão "profissional"?

Quantos de nós que pedimos este curto telejornal o veríamos realmente?

9:52 PM  
Blogger -pirata-vermelho- said...

tr,
não são 'canais de informação'- são de forma(ta)ção!
Não vê os alinhamentos e os conteúdos...?
A sua proposta não tem aplicação.
A questão não é de duração; é de estrutura e objectivo e não deixará de o ser por "força" de protestos mais ou menos 'públicos'.


(E o Vitorino é um dos maiores lacaios de um sistema que a engole)

10:34 PM  
Blogger TR said...

Quanto à referência em parêntesis, estamos de acordo Pirata e quanto à outra digamos que de alguma forma também!

11:01 PM  

Post a Comment

<< Home